Clipping – O Nortão – Instituto de Protesto pode recuperar R$20 bi à União, Estado e municípios

O Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil Seção Mato Grosso (IEPTB-MT) informa que a União, o Estado e municípios mato-grossenses têm a oportunidade de recuperarem R$ 22.399.570.823,02 utilizando o protesto de títulos e documentos de dívida. O IEPTB-MT representa os 81 Cartórios de Protesto em Mato Grosso.

Conforme a presidente do instituto, Velenice Dias, o valor se refere a taxas e tributos não pagos pelos contribuintes. “Esse valor superior a R$ 20 bilhões representa 846.165 títulos protestados que estão apenas aguardando autorização dos entes públicos para serem cancelados. É um valor muito significativo, que pode, sem dúvida, fazer a diferença nas gestões administrativa e financeira de cada ente público”, destacou.

Por outro lado, esses 846.165 títulos também estão disponíveis para serem renegociados pelos contribuintes, cujos pagamentos podem ser à vista ou parcelados. O Instituto de Protesto tem autorização dos entes públicos para fazer essa intermediação e até lançou a Campanha “Quita tudo protesto”, proporcionando condições, além do pagamento parcelado, também de desconto em juros e multas, a depender de cada situação.

Velenice Dias acrescentou que o Instituto de Protesto já possui convênio com diversos órgãos da União, Estado e municípios para o envio de títulos para protesto e que o ideal é fortalecerem sua utilização. “O protesto de títulos e documentos de dívida tem duas vantagens primordiais: o credor não paga nada para protestar e ele interrompe a prescrição, o que significa dizer que a dívida existirá até que seja quitada. Por isso, como já somos parceiros, recomendamos que a União, o Estado e municípios de Mato Grosso divulguem e utilizem mais o protesto, que é o principal instrumento de recuperação de créditos”.

Interessados em obter informações sobre a Campanha “Quita tudo protesto” e convênio para protesto de títulos e documentos de dívida devem entrar em contato com o Instituto de Protesto pelos telefones (65) 3621-3046/99612-7651 ou pelo e-mail [email protected]omt.com.br.

Fonte: O Nortão