TJ/GO – Presidente lança programa de inteligência que revoluciona atos cartorários

Depois de projetos de modernização como o sistema de Inteligência Artificial Berna e o aplicativo TJGO ADV, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) lançou oficialmente nesta quinta-feira (17) mais uma ferramenta inovadora para aperfeiçoar a eficiência jurisdicional do Judiciário goiano. É o Programa de Inteligência e Automação Processual, que contempla dois projetos: o robô de cumprimento de atos processuais e a integração do Projudi com o sistema E-Cartas, dos Correios. A apresentação foi realizada por meio de transmissão pelo Youtube, com a participação do presidente do TJGO, desembargador Walter Carlos Lemes.

Em síntese, o robô desenvolvido pela Diretoria de Informática cumpre os atos processuais de forma automatizada, de acordo com os fluxos das escrivanias previamente mapeados. Todo o trabalho é executado após a análise e classificação feita pelo servidor, conforme cada tipo de ato, observando-se um aumento na eficiência de até 700%. Já a integração da automação do cumprimento de ato com o E-Cartas permite um ganho na produtividade em todo o procedimento de 6.800%. Com o E-Cartas, a partir da expedição, todo o restante do trâmite é automático e o acompanhamento é feito eletronicamente.

TJGO moderno

O presidente lembrou que, ao assumir a gestão, o TJGO figurava entre os últimos da Justiça estadual na área de informática e que agora está entre os dez melhores. “Foi tema do meu discurso de posse: a transparência, a harmonia entre os Poderes e a informatização. A informática nos permitiu evoluir de forma fenomenal. Considerando os tribunais de médio porte, estamos em segundo lugar graças aos avanços na informatização”, comemorou o chefe do Poder Judiciário goiano.

Para o juiz auxiliar da Presidência e responsável por coordenar os projetos da área, Cláudio Henrique Araújo de Castro, o robô de automatização dos atos cartorários é revolucionário. “Esta ferramenta especificamente é a que tem o maior potencial para maximizar os trabalhos judiciários. Num grau tão avançado de execução nós não temos paralelo no Brasil, até onde eu conheço”, destacou o magistrado.

Ao fazer um breve histórico dos principais projetos de informatização implantados até o momento – citando entre eles a sessão virtual, processo híbrido, Sistema Eletrônico de Execução Unificado (Seeu), internet de alta velocidade nas comarcas, Berna e o TJGO ADV – o juiz auxiliar fez questão de ressaltar que nenhum resultado grande seria possível sem a visão e a forma de agir do desembargador-presidente. “Nada dos avanços sairiam se o presidente não tivesse dado autonomia para os que estão trabalhando nessa área e escolhido bem sua equipe”, disse Castro, fazendo elogios a todo quadro da Diretoria de Informática coordenada pelo diretor Anderson Yagi Costa.

O diretor-geral, Rodrigo Leandro da Silva, também fez questão de salientar o avanço da governança em Tecnologia da Informação do TJGO. “Posso citar no mínimo 40 projetos de grande impacto, com mais de 80% de cumprimento. E a maior satisfação é receber o retorno dos jurisdicionados que têm externado os avanços e as facilidades com as ferramentas. E muito do que está sendo feito agora trará resultado ao longo do tempo”, manifestou o diretor, citando a modernização das comarcas do interior que estão sendo equipadas com computadores novos de última geração – feito inédito na gestão do TJGO.

Unidades-piloto

O Programa de Inteligência e Automação Processual tem como unidades-piloto a Central de Processamento Eletrônico (CPE) e as Unidades de Processamento Judicial (UPJ) da Família e dos Juizados da Fazenda Pública da comarca de Goiânia. Para o diretor do Foro da comarca de Goiânia, juiz Paulo César Alves das Neves, a diretoria não poderia deixar de contribuir com um projeto tão esperado e tão importante para o judiciário e para o jurisdicionado goiano e goianiense. “Hoje temos que pensar em como utilizar os robôs, os programas, a inteligência artificial para facilitar e aumentar a eficiência do serviço prestado à comunidade”, salientou.

O diretor de Informática, Anderson Yagi Costa, exibiu um vídeo mostrando como o robô atua, em velocidade real ao cumprimento de um ato cartorário. De acordo com ele, com a otimização do trabalho, os servidores poderão atuar em demandas de análise e nos gabinetes dos magistrados. Costa ainda ressaltou que o TJGO tem buscado atuar em parceria com as demais instituições do sistema de Justiça. “Estamos atentos às demandas de todos e trabalhando para melhorar o trabalho e a prestação jurisdicional.”

Para a coordenadora da CPE de 1º Grau, Cássia Aparecida de Castro Alves, “o ganho de produtividade da ferramenta é fenomenal. Dessa forma vamos conseguir otimizar e reduzir o problema de déficit de servidores”. Na experiência realizada na 1ª Vara de Aragarças, 57% do total de processos da unidade tiveram atos cumpridos pelo robô em dois dias.

Convidados

O defensor público-geral do Estado de Goiás, Domilson Rabelo da Silva Júnior, enalteceu o diálogo que o TJGO mantém com os integrantes do sistema de Justiça. “É uma alegria observar o interesse da gestão pública em buscar ferramentas e materializar aquilo que pode ser positivo para a comunidade. Saio daqui inspirado”.

“Não basta sermos só atentos ao princípio da legalidade, da moralidade, da impessoalidade. Temos também que estar atentos ao princípio da eficiência. O mecanismo judicial tem tido excelentes avanços na gestão do desembargador Walter”, expressou o procurador-geral do município de Goiânia, Brenno Kelvys Souza Marques.

O diretor de Cerimonial e Relações Públicas, José Roberto Nascimento, e a diretora da Divisão de Engenharia de Software, Keila Sousa Silva, também participaram do lançamento.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Goiás