TJ/MA: Judiciário do MA celebra união civil de 157 casais em casamento comunitário

O juiz Alexandre José de Mesquita, diretor do fórum e titular da 3ª vara da comarca de Santa Inês, conduziu uma cerimônia de casamento comunitário com 157 casais da comunidade local, no final da tarde de quarta-feira, 21 de agosto.

A tabeliã do Cartório do 2º Ofício de Santa Inês, Luciana Castelo Branco, atuou em parceria com o Poder Judiciário nos processos de habilitação, registro e emissão das certidões gratuitas, sem custo para os noivos quanto às despesas cartorárias, por meio do Projeto “Casamentos Comunitários”, mantido pela Corregedoria Geral da Justiça desde 1998.

O diretor do fórum, com a colaboração dos juízes Denise Cysneiro Milhomem (1ª vara de Santa Inês), Denise Pedrosa Torres (4ª vara de Santa Inês), Felipe Soares Damous (Pio XII) e Thadeu de Melo Alves (Pindaré-Mirim) celebraram a união civil dos casais, individualmente, fazendo a entrega das certidões no mesmo ato.

Na abertura da solenidade, o juiz Alexandre Mesquita deu as boas-vindas aos noivos, destacando o projeto “Casamentos Comunitários”, instituídos pelo desembargador Jorge Rachid Maluf durante sua gestão na Corregedoria Geral da Justiça. A prefeita municipal, Maria Vianey Pinheiro Bringel, também dirigiu mensagens aos noivos. Em seguida, foram iniciadas as celebrações.

Os matrimônios foram iniciados pela celebração do casamento do casal mais idoso presente: José Estácio Costa Pinheiro, 68 anos e Jozelina Silva Corrêa, 66, pelo juiz Felipe Soares Damous, da comarca de Pio XII. Na sequência, o juiz Thadeu de Melo Alves, de Pindaré-Mirim, celebrou a união do casal mais jovem da cerimônia: João Pedro Pacheco Rêgo, 21 anos e Andressa da Silva Azevedo, 18.

O casamento foi assistido pelos familiares dos noivos e autoridades municipais. Tomaram assento na mesa diretora da solenidade o promotor de Justiça, Sandro Lobato de Carvalho; o defensor público Eric Luiz Martins; o presidente da Câmara Municipal, Luis Carlos Pereira Siqueira; o comandante do 7º Batalhão, coronel Mario Sergio Cutrim e o pastor Rayfran Batista da Silva, da Assembleia de Deus.

Fonte: Tribunal de Justiça do Maranhão