Anoreg/CE – Cerice bate a marca de 1000 solicitações e cumpre agenda de apresentações do sistema

Na semana em que a Central de Registro Imobiliário do Estado do Ceará (Cerice) bate a marca de 1000 solicitações, Prefeitura de Fortaleza e Coelce conhecem os serviços da Central.

Como parte do cronograma de apresentação da Cerice, na tarde da última sexta-feira, dia 12 de julho, representantes da Prefeitura Municipal de Fortaleza e da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Coelce) conheceram o sistema. A reunião aconteceu na sede que congrega Anoreg-CE, Sinoredi-CE e IRTDPJ-CE e representou mais um passo para ampliar o conhecimento sobre a Central no mercado imobiliário.

As facilidades e os serviços disponibilizados pela Cerice foram apresentados à Prefeitura e à Coelce, clientes que manuseiam um volume grande de informações que passa pela Central. “Isso mostra, inclusive, um potencial corporativo do trabalho que estamos desenvolvendo”, explica Helena Borges, presidente da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Ceará (Anoreg-CE), ao demonstrar o impacto dos serviços da Cerice para grandes empresas, inclusive para os entes e órgãos públicos.

Davi Lopes, gerente da célula de bens e imóveis da Secretaria Municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão, destacou como a ferramenta torna-se interessante para evitar custo de transporte para a busca de documentação, em especial se for considerada a quantidade de documentos que a Prefeitura manuseia. No caso da Secretaria são inúmeras certidões e matrículas destinadas à regularização de bens públicos.

Lígia Moreira, coordenadora da Gerência de Ativos da Coelce, setor voltado ao patrimônio e a regularização dos imóveis da Companhia, expressou seu otimismo e expectativa em relação à Central, reafirmando o quanto é oneroso para a empresa as diversas viagens para aos cartórios em busca de documentos e informações, sobretudo se o panorama em mente for a extensão do Estado do Ceará.

Lígia salientou ainda a vantagem específica de que as pendências sobre determinado serviço serem avisadas on line, o que evita o translado, e a abertura para a melhoria de um Sistema que não é “fechado e taxativo”, explicou.

Parte significativa da flexibilidade do Sistema e da possibilidade de customização, vem da escolha feita pela Anoreg-CE em montar um sistema próprio, desenvolvido em sua maioria por técnicos totalmente voltados ao desenvolvimento do projeto. “Tivemos como ponta pé inicial a valorosa ajuda dos colegas de Santa Catarina, que nos forneceram vários pacotes tecnológicos, mas o cerne da Central foi pensado e desenvolvido para a nossa necessidade daqui no Ceará. Isso ajudou demais aos colegas e agora vemos que também será bastante proveitoso àqueles que vão solicitar os serviços, sobretudo em larga escala”, explica Helena Borges.

Com três módulos em funcionamento, a expectativa é de que o quarto módulo, o “E-intimacao”, esteja disponível em pouco tempo. Ao total, esses são os 4 módulos que devem compor a Cerice em seu estágio inicial: E-pesquisa de Bens, E-Certidão,E-Protocolo e E-intimação.

Apresentação ao Sinduscon-CE
Além das apresentações à Prefeitura e à Coelce, também já houve apresentação da Cerice ao Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), pelo responsável técnico da Central, Miguel Jefferson. A reunião ocorreu no dia 8 de julho, na sede do Sinduscon-CE. No final de junho, no dia 28, foi a Caixa Econômica Federal que se reuniu na sede das entidades do setor cartorário para afinar as demandas em relação a Central. “Além de ajustes técnicos e esclarecimentos, essa série de apresentações ajuda a criarmos uma rede em torno da Cerice. Vamos fazendo um trabalho duplo: ajustando a técnica, questões de regulamentação, mas também criando um aporte de relacionamento que é importantíssimo”, avalia Helena Borges.

Fonte: Anoreg/CE