Clipping – Jornal Opção – Trindade (GO) chega a 2 mil imóveis regularizados

Famílias contempladas na última ação moram no Setor Bela Vista e incluem casos de pessoas que residem no mesmo imóvel há quase 40 anos sem qualquer documento

“Meu marido morreu sem ter o prazer de pegar neste documento.” Izabel Paes Nascimento, de 91 anos, mora no Setor Bela Vista, em Trindade, há quase quatro décadas. Desde terça-feira, 5, ela tem guardada em casa a escritura do imóvel em que reside.

Izabel é uma das 120 pessoas que receberam da Prefeitura de Trindade sua escritura em evento na Escola Municipal Padre Renato. Todos são moradores do Setor Bela Vista. O programa de regularização fundiária do município já legalizou a situação documental de mais de 2 mil imóveis na cidade.

A gestão do prefeito Jânio Darrot (PSDB) alega que regularizar a situação dos moradores em imóveis sem escritura é uma promessa antiga em Trindade, que vem de outras administrações. Mas que nunca foi cumprida. Segundo a prefeitura, chegaram até a cobrar taxas de famílias humildes sem resolver o problema.

Durante o evento de entrega das escrituras, o prefeito destacou que era um momento de se comemorar a nova realidade de 120 famílias. “Parabéns. Hoje vocês dormirão de forma mais tranquila. O teto está documentado, regularizado e a partir de agora pertence a vocês, de fato e de direito”, declarou Jânio.

Geancarlos Passos, responsável pela coordenação do programa na Secretaria Municipal de Planejamento Urbano, Habitação e Regularização Fundiária, afirmou que a intenção é fazer como que centenas de outras famílias, principalmente de baixa renda, sejam contempladas com a escritura em muitos bairros de Trindade.

O secretário Mardem Júnior, titular da pasta, foi parabenizado pelo prefeito por manter um “ótimo trabalho fundiário” no município. “Quando entregamos a ela [Izabel] a escritura, o brilho de felicidade em seus olhos nos sensibilizou. Tivemos a confirmação de que estamos no caminho certo. É muito gratificante trabalhar pelos que mais precisam da ação do poder público”, pontuou a primeira-dama Dairdes Darrot.

Fonte: Jornal Opção